Carregando...

Carregando...
Aumentar Fonte do site Diminuir Fonte do site Alterar contraste
Ir para o conteúdo principal
loja@technocare.net.br
Rua Piauí, 69 - Loja 03 - Santa Efigênia - Belo Horizonte / MG - 30.150-320
(31) 3443-2200
(31) 99425-0217
Reparo e Manutenção de Cadeira de Rodas Motorizadas e Manuais                Adequação Postural - Terapeuta Ocupacional Especializada nos EUA    
Produtos > Adequação Postural/Funcional > Levitar de cabeça

Levitar de cabeça

Preço sob consulta

Código: 11157
Precisa de ajuda?

Descrição

1 – Indicação:
 
Para uso em crianças e pessoas que não possuam o controle de cabeça, devido à deficiência neurológica. Como por exemplo, paralisia cerebral, trauma crânio-encefálico, neuropatias, etc.
Sua utilização foi feita  inicialmente num  grupo controle de 15 crianças, na faixa etária de 7 a 12 anos, durante uma pesquisa feita através de um  financiamento do CNPq –  1988_1990 –  que objetivava comprovar se havia contra-indicação de qualquer ordem.
Durante os dois anos dessa  pesquisa, não foram observados quaisquer efeitos colaterais. Boa parte dos alunos apresentaram diminuição do colabamento das vertebras cervicais, sendo que houve uma melhora significativa do alinhamento da coluna cervical.
Naquele estudo, um grande número de crianças melhorou significativamente o controle de cabeça. Não pudemos correlacionar a utilização do Levitar com os resultados obtidos, uma vez que essa variável não fazia parte das pesquisa.
O LEVITAR DE CABEÇA foi aplicado em atividades de educação e jogos recreativos e os seus usuários  apresentavam grande motivação para realizar as atividades.
Nos últimos 20 anos estamos utilizando o LEVITAR DE CABEÇA, com os objetivos de:  facilitar o contato com o meio ambiente, realizar atividades educacionais, sociais  e lazer, e como facilitador da mobilidade da cabeça para a comunicação aumentativa.
Continuamos observando uma grande correlação entre o uso de Levitar de Cabeça e a melhora de mobilidade voluntária da cabeça.
Para tanto, acompanhamos cada usuário em avaliações trimestrais ou semestrais e observamos criteriosamente a altura da haste de sustentação e a flexibilidade da mola. Essas observações são para verificar se é possível reduzir a quantidade de levitação aplicada durante o treinamento.
Um critério importante para a aplicação de uso de LEVITAR DE CABEÇA é considerar que há aceitação do usuário. Não podemos usar esse dispositivo em pessoas com “self-defension”; ou com hipersensibilidade na cabeça e face; ou com hiperextensão de cabeça;  ou com grande de padrão de distonia córeo-atetóide.
É um equipamento de uso individual e deve ser criteriosamente ajustado para encontrar-se o centro de gravidade funcional para a cabeça.
O Levitar tem muitas regulagens. É ajustável e reajustável.
Mas enquanto está sendo utilizado não poderá ser usado por mais de uma pessoa.
Posteriormente poderá ser novamente regulado para outra pessoa. A maior parte dos usuários utiliza o Levitar em torno de 2 anos, e deixa de usá-lo quando ocorrer amovimentação voluntária da musculatura do pescoço e a cabeça começar a ser controlada voluntariamente.
O Levitar é indicado para suportar o peso de cabeça e não de tronco – mas pode ser usado por pessoas  sem controle de cabeça e de tronco.
No entanto, para que uma pessoa use o LEVITAR DE CABEÇA – quando não há controle de tronco, o que é bem comum –  deverá ter o seu tronco apoiado através de estabilizadores de tronco. O alinhamento de tronco é fundamental para o suporte de cabeça. Portanto o suporte de peso da cabeça será feito pelo LEVITAR DE CABEÇA, o suporte de peso do tronco deverá ser feito por sistema que sustente o corpo como: estabilizadores de tronco, cinto escapular, etc…
Há o risco do usuário levar as mãos ao equipamento, no queixo por exemplo. Isso poderá provocar uma grande tensão na mola e deslocar o equipamento, que poderá engasgar essa  pessoa.
 
Não recomendamos o uso de LEVITAR DE CABEÇA em pessoas que:  não suportam ter qualquer coisa na cabeça; são distônicos com grave padrão extensor de nuca; têm comportamento autista e ou outros distúrbios comportamentais.
A pessoa ou criança, na medida do possível, deverá participar da explicação de que esse equipamento lhe ajudará a ver melhor o ambiente, a TV, o computador, os brinquedos, os olhos das pessoas que falam com ela; que poderá virar a cabeça para a direita e para a esquerda; e ainda responder com movimentos de cabeça para o sim e o não. No entanto se a criança chorar enquanto estiver sendo avaliada, recomendamos não colocar o equipamento até que ela aceite.
No caso de uma criança ou pessoa não poder demonstrar seus sentimentos e impressões, após a colocação do Levitar os cuidadores, professores e  familiares que conhecem bem o indivíduo, deverão avaliar sua fisionomia e comunicação corporal para ver se está “tudo bem”.
 
2 – Descritivo:
 
Dispositivo dinâmico antigravitacional que mantém a cabeça centralizada no seu eixo axial de forma a permitir os movimentos de flexão, extensão e rotação lateral, dentro de um determinado arco de movimento. É similar a um capacete sendo ergonômico, pois possui diversas regulagens para adaptar-se a perimetria cefálica.
Esse capacete é acoplado à cadeira de rodas através de um adaptador e uma haste com três tubos: um quadrado e dois redondos que permitem várias regulagens de angulação, altura e profundidade.
O capacete é composto por: três arcos, uma haste facial, uma haste redonda frontal, uma placa frontal, uma mentoneira, duas faixas de velcros, três almofadas de microespuma, seis parafusos, 8 rebites, duas ponteiras plásticas, um pino – argola, uma mola, um mosquetão e doze batentes de regulagem em silicone.
Os três arcos são: o arco fronto-occipital, o maior e longitudinal,  de 36,5 cm com 11 furos para regulagens, o arco occipital de 12,5 cm, com uma almofada de 14,5 cm e as tiras de velcro  perpendicular ao arco longitudinal e o último arco frontal (na fronteira do osso frontal) –  portanto no centro da cabeça – com 26,5 cm e almofada de 28,5 cm, é também no sentido perpendicular ao longitudinal.  Nesse arco há dois parafusos que podem ser regulados em distância ao arco longitudinal de forma a estabelecer o centro de tração para: o pino-argola, a mola e o mosquetão.  Há ainda uma haste facial que se acopla ao arco longitudinal no eixo orbital superior através de uma pequena placa frontal longitudinal de 3 cm, que é soldada a um tubo que desliza perpendicularmente na haste redonda frontal de 16 cm. A haste facial, com 25 cm de cumprimento, recepciona uma almofada de testa de 12,5 cm e velcros no eixo orbital superior e uma mentoneira feita em material termomoldável no eixo orbital inferior.
Essa haste facial é presa ao arco occipital, pelos lados temporais através de um velcro. Os batentes em silicone determinam a altura da faixa da testa, fixam a altura dos velcros da haste occipital, e fixam a mentoneira ao arco do queixo (que pode ser mais inclinado ou menos inclinado dependendo do padrão da articulação temporo-mandibular).  O mosquetão fixa todo o conjunto do capacete ao cabo regulável.
O LEVITAR DE CABEÇA, nessas medidas é considerado de tamanho médio para adolescentes e adultos, sendo que há também o tamanho pequeno para crianças e tamanho especial para certos casos de hidrocefalias.